O peeling estimula a renovação das células da pele através de uma descamação controlada com o uso de substâncias químicas ou de métodos físicos, como a dermabrasão. O procedimento pode ser utilizado para clarear manchas e sinais resultantes da acne, além de atuar no tratamento de rugas e linhas de expressão.

 

A palavra peeling é originada do inglês “to peel”, que significa descamar ou descascar. Isso porque o objetivo do procedimento é renovar as células da pele por meio da descamação. O peeling pode ser de dois tipos: físico ou químico.

 

O peeling físico se dá por meio de agentes que induzem a descamação, desde lixas e cremes abrasivos até aparelhos que realizam uma microabrasão na pele por fluxo de cristais – peeling de cristal – ou lixas de pontas de diamantes – peeling de diamante. É um método indolor, seguro e por meio do qual o paciente percebe melhora imediata no tônus, textura e pigmentação da pele. Peelings químicos são feitos com a aplicação de agentes, como os ácidos salicílico e retinoico, que removem as camadas superficiais da pele, para que depois ela se regenere com uma aparência melhor. Eles são utilizados para a atenuação de rugas, manchas e, também, no auxílio do tratamento de sinais da acne.