Em se tratando de estrias, saiba que existem três tipos: as vermelhas ou arroxeadas; as brancas, superficiais e estreitas; e ainda as brancas, profundas e largas. De forma geral, elas aparecem quando é exigido da pele um estiramento muito rápido. Isso pode acontecer durante a fase de crescimento, na gravidez, quando a mulher engorda muito ou aumenta os seios com uma prótese de silicone grande demais.

 

As estrias vermelhas ou arroxeadas são as mais fáceis de tratar, pois são recentes – a cor indica que o tecido não foi totalmente prejudicado e há sangue circulando no local. Com o passar do tempo, as linhas vão perdendo gradualmente a tonalidade até se tornarem esbranquiçadas. Nessa fase, o tratamento, para dar bons resultados, precisa ser mais intenso e provocar uma agressão na pele para que ela reaja produzindo mais colágeno e elastina, que farão a cicatrização interna das estrias. Por outro lado, quando essas estrias também são largas e profundas, há necessidade de métodos mais invasivos para estimular o preenchimento dessas linhas de dentro para fora.

 

Conheça alguns dos tratamentos para estrias:

  • Radiofrequência;

  • Laser fracionado;

  • Peeling de cobre;

  • Intradermoterapia;

  • Carboxiterapia;

  • Infravermelho;

  • Ácido retinoico;

  • Luz intensa pulsada;

  • Peeling de cristal;

  • Vitamina C.

 

 

Lembramos que alguns tratamentos podem ser combinados entre si.